quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Revista Veja denuncia filha de pastor que teria mantido relações sexuais com políticos em troca de poder e favores.


Capa da Revista  Veja Ed.2256 - 15/02/2012   
A revista Veja trouxe em sua última edição um relato sobre a advogada alagoana Christiane Araújo de Oliveira, evangélica, filha do Pastor Elói Freire de Oliveira, conhecido como “profeta Elói”, fundador da igreja Tabernáculo do Deus Vivo na capital Maceió e da “profetiza” Maria de Fátima Araújo de Oliveira.


Segundo a revista, Christiane teria se mudado para Brasília para estudar direito e no ano de 2007 começou a trabalhar no escritório do delegado Durval Barbosa, que mais tarde ficaria conhecido como o operador do chamado “Mensalão do DEM” que levaria a cadeia um governador. A revista conta ainda que a advogada se transformou em um instrumento de “traficância política”,  revelando o teor do depoimento dado por Christiane em oito horas de gravação em áudio e vídeo em que ela revela que mantinha relações íntimas com diversos políticos e figuras chaves da república. Vivia uma vida de muitas festas de embalo, viajando em aviões oficiais e aproveitando dos diversos amantes influentes para obter favores políticos para Durval e seus amigos que desviaram mais de 1 bilhão de reais de dinheiro público. Também explicou como o governo Federal usou de sua proximidade  com a quadrilha para conseguir material que incriminaria adversários políticos.

Durval Barbosa
Entre os relacionamentos da advogada foram citados: o ministro do Supremo Tribunal Federal José Antonio Dias Toffoli e Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República com quem Christiane relatou que tem uma amizade íntima.  Ambos negaram qualquer tipo de envolvimento com a jovem.
A advogada chegou a confirmar o envolvimento com o ministro do STF
José Antônio Dias Toffoli e com o Secretário-geral da presidência Gilberto Carvalho.
Foto: Divulgação_DIDA SAMPAIO/AGÊNCIA ESTADO
 
Dilma Rousseff na bancada de evangélicos
com Christiane Araújo de Oliveira.
Foto reprodução Revista Veja.
Christiane também trabalhou no Comitê Central de Dilma, como encarregada de intermediar as conversas com as igrejas evangélicas que contou com a ajuda de seu pai, o Pr. Elói que detém muitos contatos políticos onde é conhecido por todos como profeta. Ela também foi convidada para integrar a equipe de transição de governo Dilma, porém, foi demitida quando seu envolvimento com a máfia das sanguessugas foi descoberto. O pai também teria usado estes contatos para alavancar a carreira da filha.
Pastor Elói Freire de Oliveira, Pai de Christiane.


Reações:
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. Obriga-se o divulgador a oferecer junto ao conteúdo usado, os links para este site e os devidos créditos.

Visualizações de página a partir de 01/2012