domingo, 8 de abril de 2012

Silas Malafaia x Movimento Gay. Quem é intolerante?


E bem verdade que qualquer pessoa de bom senso e que não seja manipulada pela mídia, consegue ler nas entrelinhas o que pretende o movimento gay em relação ao pastor Silas Malafaia.

O pastor Silas Malafaia é um dos mais ferrenhos opositores da lei que pretende criminalizar qualquer tipo de manifestação contrária ao movimento gay, a famosa PLC 122. Não conseguindo vencer o pastor em argumentos, o movimento tenta então "outros meios" para tentar calar o líder da Assembléia de Deus Vitória em Cristo, coibindo assim através do medo outros líderes que possam se posicionar contrário a causa.


Em seu programa Vitória em Cristo de ontem (7), o pastor Silas Malafaia mostrou os processos que estão tramitando contra ele, no ministério público e no Conselho Federal de Psicologia onde tentam cassar sua licença de Psicólogo. (Assista o vídeo com o programa na íntegra ao lado).

No vídeo o pastor comenta os processos e acusa os responsáveis de perseguição religiosa, pois segundo ele, distorceram sua palavra no programa Vitória em Cristo veiculado em junho de 2011, em que saiu em defesa da igreja católica quando os organizadores da
parada gay, levaram para o evento, imagens de santos católicos em situações homoeróticas o que levou o pastor a dizer na ocasião: “É para a Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha!”. Os líderes do movimento LBGT (lésbica, gays, bissexuais e transgêneros), entenderam que esta gíria poderia incitar violências contra homossexuais, o que levou a processo contra o pastor e contra a Rede Bandeirantes de televisão.

Entre outras coisas, o pastor Silas disse que se esta expressão fosse utilizada contra qualquer pessoa, seria entendida, mas contra o movimento LBGT, torna-se incitação a violência.

Três dias antes, o setorial LBGT do PT, divulgou nota de repúdio contra o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), por ter apoiado o pronunciamento do senador Magno Malta no plenário onde o senador dizia que não entendia a expressão utilizada pelo pastor como homofóbica.


Leia mais aqui.

Veja a nota completa e comentário do pastor Silas Malafaia clicando aqui.

Assista o pronunciamento do senador Magno Malta abaixo com aparte do senador Lindbergh Farias:


Outro que saiu em defesa do pastor Silas, foi o colunista da revista Veja, Reinaldo Azevedo que em duas matérias em seu blog, escreveu o que se segue:
"Embora, por óbvio, não seja católico, Malafaia reagiu em seu programa de televisão. Afirmou: “É para a Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha!” Ele acusou os promotores do evento de “ridicularizar os símbolos católicos”. Teve, em suma, a coragem que faltou à CNBB!
Pois é. O Ministério Público viu na sua fala incitamento à violência!!! Ah, tenham paciência, não é? O sindicalismo gay tem de distinguir um “pau” que fere de um “pau” metafórico — ou “porrete”.  Alguém, por acaso, já viu católicos nas ruas, em hordas, a agredir pessoas? Isso não acontece em nenhum lugar do mundo!
O contrário se dá todos os dias: o cristianismo, nas suas várias denominações, é a religião mais perseguida do mundo, especialmente na África e no Oriente Médio. E, no entanto, não se ouve um pio a respeito. A “cristofobia” é hoje uma realidade inconteste. A homofobia existe? Sim! Tem de ser coibida? Tem! Mas nem as vítimas desse tipo de preconceito têm o direito de ser “cristofóbicas”!"
"Resta evidente que, embalados pela disposição do próprio Supremo de cassar o Artigo 226 da Constituição para reconhecer a união civil entre pessoas do mesmo sexo, os sindicalistas do movimento gay perderam o parâmetro, a noção de medida. Sexualizar ícones de uma religião que cultiva um conjunto de valores contrários a essa forma de proselitismo é uma agressão gratuita, típica de quem se sente fortalecido o bastante para partir para o confronto."
Finalizando, o jornalista escreveu:
"Vejam como autoritarismo e hipocrisia se cruzam nesse caso. Os agressores — aqueles que levaram os “santos gays” para a avenida — se fazem de vitimas e, em nome da reparação de um suposto agravo, querem punir um de seus críticos. É um modo interessante de ver o mundo: os sindicalistas do movimento gay acham que, em nome da causa, tudo lhes é permitido. E aqueles que discordam? Ora, ou o silêncio ou a cadeia!
É assim que pretendem construir um mundo melhor e mais tolerante." 
Leia as duas matérias nos links abaixo:


Intolerância religiosa, a nova face da “vanguarda do atraso”
Quando “pau” é apenas uma metáfora! Ou: Será que Malafaia cometeu um crime?
Pois bem, diante da matéria exposta acima, esperamos que nossos leitores tirem suas conclusões e que este fato, possa servir de ponto de partida para que o Brasil consiga a ter uma lei que combata todo o tipo de intolerância e não amarre a filosofia e a liberdade de expressão, pois é isso que a sociedade brasileira vem buscando. Para finalizar, deixo a frase:


"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir." George Orwell

Reações:

2 comentários:

  1. triste um homem que está mais que do milionário se achar o dono da verdade, prega a palavra mas não segue, acumula riquezas e poder, quero ver ele doar pelo menos metade de sua fortuna aos pobres, como está escrito os ricos não herdam o reino de Deus

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO!: É muito importante para nós sabermos sua opinião sobre o que acabou de ler, por isso, deixe o seu comentário sobre a matéria acima que será um prazer para nós exibi-lo aqui. Lembramos apenas que VOCÊ é o ÚNICO responsável por seu comentário e que não são permitidos comentários que contenham: Conteúdo ofensivo, difamatório ou palavras de baixo calão.

O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. Obriga-se o divulgador a oferecer junto ao conteúdo usado, os links para este site e os devidos créditos.

Visualizações de página a partir de 01/2012