domingo, 29 de abril de 2012

Pastor Terry Jones cumpre a promessa e queima exemplares do alcorão para protestar contra prisão de Yousef Nadarkhani.

Após ter dado um prazo para que o governo iraniano soltasse o pastor Yousef Nadarkhani, que está preso no Irã desde 2009, o pastor Terry Jones cumpriu o prometido e voltou a queimar representações do profeta Maomé junto com exemplares do alcorão, o livro sagrado dos mulçumanos, neste sábado (28) em frente sua igreja em Gainesville na Flórida.
O Pentágono pediu ao pastor que reconsiderasse os atos e manifestou preocupação com a queima do Alcorão, que pode prejudicar os soldados americanos no Afeganistão, segundo o Gainesville Sun.

Em março de 2011, o pastor Wayne Sapp queimou um exemplar do Alcorão e divulgou o vídeo na internet. As imagens provocaram uma onda de violência no norte do Afeganistão, com um saldo de 12 mortos.
Pastor Yousef Nadarkhani

O pastor Yousef Nadarkhani foi preso pela polícia iraniana em 2009 por se declarar cristão e não querer que seus filhos estudassem o livro sagrado dos muçulmanos - o Alcorão. (veja mais informações aqui)
Ele se tornou cristão aos 19 anos de idade e três anos depois, já pastor evangélico, fundou uma pequena comunidade cristã na cidade de Rasht, a noroeste de Teerã.
Nadarkhani foi preso, acusado de abandonar a fé islâmica, e recebeu a sentença máxima: morte por enforcamento.
Com informações do site terra.
Yousef, Youcef, Youssef, Nadarkhani

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO!: É muito importante para nós sabermos sua opinião sobre o que acabou de ler, por isso, deixe o seu comentário sobre a matéria acima que será um prazer para nós exibi-lo aqui. Lembramos apenas que VOCÊ é o ÚNICO responsável por seu comentário e que não são permitidos comentários que contenham: Conteúdo ofensivo, difamatório ou palavras de baixo calão.

O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. Obriga-se o divulgador a oferecer junto ao conteúdo usado, os links para este site e os devidos créditos.

Visualizações de página a partir de 01/2012